Categorias
Gameplay

Gameplay: O Mundo De Dunegor, Parte 2.

Continuando de onde paramos na parte 1.

Os nosso heróis se encontram na entrada de uma cripta, conversando sobre quem merece ou não estar ali. Quando um grupo de zumbis derruba a porta e avança em direção aos heróis!

Qual tipo de zumbi? (Rolo no banco de idéias: Amaldiçoado). Os zumbis avançam sem nem perceber os heróis, rastejando em direção a cidade. O filho de Requilon está entre eles? (Sim ou não: Sim). Requilon percebe o filho dele entre os mortos-vivos. Esquill tenta se lembrar de um feitiço para paralisar o irmão e filho de requilon, para que eles investiguem melhor o que está fazendo com que esses mortos se levantem.(Desafio: Lançar o feitiço, Sucesso) Levantando a mão e fazendo um sinal e umas palavras mágicas, ele prende o corpo do filho/irmão de seus companheiros. Requilon se aproxima e fala: “Meu filho Trennor, o que fizeram contigo? Não se pode nem descansar em paz!”. Alonir está com um semblante triste, lembrando do irmão com vida. Esquill percebe uma chama vermelha nos olhos de Trennor, que pode indicar o que está por trás do sumiço dos corpos.

“Temos que entrar na cripta. Alguém deve ter feito um ritual lá dentro, não sei ainda qual, mas esses zumbis estão funcionando como trabalhadores para algum propósito nefasto”

Terceira cena: Dentro da masmorra(não rolei local, mas vou rolar no banco de idéias para ver como é a cripta: Qualidade: Enfurecido.), personagem: Mercador.

Ao adentrar a cripta, um lugar antigo e decrépto, mas que está estranhamento iluminado, eles entram num salão grande, com várias fornalhas queimando com raiva. Vários zumbis estão martelando em espadas e armaduras sem parar

Eles encontram um homem acorrentado num canto, ele está furioso e pedem para que soltem ele. Ele conta que é um fabricante de armas de uma cidade vizinha, que havia contratado um necromante para juntos fazerem uma pequena fábrica com trabalhadores zumbis e conseguirem lucro! Mas o necromante, agora fortalecido pelo eclipse lunar que se aproxima, está cada vez mais forte e prendeu-o aqui, enquanto monta um exército de zumbis amaldiçoados!

O grupo de heróis escuta a história com atenção, prestando atenção em todos os detalhes.

Uma grande pedra vermelha pulsa com uma cor sangue no centro da sala. Esquill suspeita que ela é a pedra que está controlando todos os zumbis. Esquill fala com Alonir e Requilon: “Precisamos por um fim nesse empreendimento maléfico! Posso tentar destruir a pedra, mas talvez os zumbis vão querer protejer a pedra.” O mercador do canto da sala: “Rápido, antes que ele volte!”.

Esquill se prepara para atacar a pedra, concentrando toda sua força mágica num ataque no cerne da Pedra Lunar(Desafio com desvantagem, 5 e 5). Uma das correntes que prende a pedra no chão se rompe, e uma rachadura é visível na pedra. Quando o raio de energia atinge a pedra, os zumbis entram em estado de alerta e começam a correr na direção dos heróis. Alonir começa a atacar os zumbis a torto e a direito, Requilon brande a espada e acerta os zumbis também. Esquill se concentra em atacar a pedra novamente. (Mais um desafio, agora sem vantagem nem desvantagem: 4! Acertou denovo!) A pedra estilhaça no chão, sua pulsação vermelho-sangue ficando cada vez mais fraca. Os olhos dos mortos vivos perdem o brilho vermelho assim como os pedaços da pedra. Os corpos começam a cair no chão, novamente sem vida.

Nova cena: Montanha, Evento: Orc com machado.

Enquanto isso, vemos uma cena diferente: um necromante se encontra um orc numa montanha a noite. Ele está entregando um carregamento de machados negros para os Orcs. O chefe orc pergunta “o que fazer com esse machado?” E o necromante aponta a vila no vale. A mesma vila onde moram nossos heróis! Nisso, o necromante é atingido por uma onda de dor, que ele faz de tudo para não transparecer aos orcs. E ele pede licença, que algo surgiu e ele tem que correr agora.

Categorias
Gameplay

Gameplay: O Mundo De Dunegor.

Um exemplo de gameplay do cenário de Dominus, O Mundo de Dunegor.

Primeiro, defino minha trama, rolando dados na tabela de tramas: “Uma tempestade nefasta se aproxima”, “Dominar a chama da lua”, “Os mortos irão se levantar”.

“Os sinais antigos das profecias estão sendo percebidos em todo o reino, as noites estão mais escuras, os dias mais curtos. Algo sinistro está crescendo. Rumores apontam para uma atividade incomum nos cemitérios de uma vila próxima: covas estão aparecendo abertas. Não se sabe o que é que pode estar causando isso, mas teme-se que cultos antigos de necromantes estejam se fortalecendo novamente.”

Meu personagem: Esquill, Arquétipo: “Mago”. Esquill é um mago recém formado, que estudou na Academia de Magia Espinha-de-Porco. Ele quer encontrar a fonte desses rumores, já que necromancia é uma prática não exatamente legal, ele espera que possa por um fim nisso (e ter alguma recompensa), ou pelo menos adiar o inevitável.

Como Esquill é um aventureiro iniciante, ele provavelmente não vai se meter se for alguma coisa muito além da alçada dele.

Primeira cena: “Local: Campo”, “Evento: Armadilha de fosso de estacas”.

Encontramos Esquill explorando o cemitério da vila(interpretei o “campo” como sendo isso), onde várias covas foram abertas recentemente. O dia é claro, bem diferente dos castelos que ele está acostumado. Está procurando dicas e pistas do que pode ter acontecido por aqui.

Existem pegadas que indicam aonde alguém pode ter ido? Esquill não é muito de rastrear, e não quer gastar as magias que ele preparou tão rápidamente, então ele está procurando só com os olhos mesmo. Desafio, com desvantagem: (“3, 4” Sucesso). Ele encontra rastros que mostram que os corpos foram arrastados em direção a uma floresta próxima.

Ocupado vendo todas as pegadas e rastros que levam para a floresta próxima, Esquill não vê uma armadilha que o coveiro tinha feito para tentar pegar quem está fazendo isso. Ele consegue se esquivar a tempo? Desafio simples: “1”. Não consegue. Ele cai num fosso com estacas. Ele não se machuca muito, porque por sorte, as estacas estavam viradas para outro lado. Usando um simples feitiço de levitação, ele sai do fosso.

Esquill agora pode A) escolher explorar a floresta agora durante o dia, ou B) esperar a noite e ver se alguém cai na armadilha. (Rolei “4”, B)

Esquill resolveu dar uma volta na cidade durante o dia, e voltar a noite para tentar emboscar alguém nas redondezas do cemitério.

Vou trocar a cena. Poderia ir para uma cena durante o dia, numa taverna ou no centro da cidade. Mas resolvi pular essa cena. Vamos só dizer que ele conseguiu na cidade alguma coisa: A) poções mágicas, B) um ajudante. (“5”). Um ajudante. Rolo no banco de idéias: “Enferrujado”. Um velho guerreiro aposentado, que ele conheceu na taverna resolveu ir com ele para a tocaia. Meio bêbado, ele reclama que a cova do filho dele apareceu aberta esses dias. E ele quer vingança!

Segunda cena: “Masmorra”, “Personagem: Aventureiro Aposentado”.

Esquill e Requilon, o guerreiro exploram as florestas em volta do cemitério e tombam de frente com uma entrada de uma cripta bem ornada no meio da floresta. Ao chegar, eles são surpreendidos por um vulto que salta na frente deles: uma figura esguia, usando uma roupa preta pula na frente deles, adagas nas mãos. Eles também sacam suas armas. Quando Requilon grita “Atacaaar!”, a figura percebe quem é e fala: “Pai?”, uma voz feminina, “O que você está fazendo aqui?”. A figura tira o capuz e revela que é uma aventureira, provavelmente ladina. “Eh, eu… eu vim vingar seu irmão.”. “Nossa pai, você mal consegue se vingar de uma caneca de cerveja. E você quem é?”. “Esquill, mago extraordinário!” E faz uma pequena firula de magia. “Nossa, bem extraordinário.”

A menina diz que se chama Alonir, é uma meio-elfa que é filha de Requilon. Ela também estava procurando os culpados pelo rapto de corpos da vila.

Quando, de repente: A) Um grupo de zumbis arromba a porta da cripta B) Um necromante abre a porta da Masmorra e dá de cara com o grupo conversando. (Rolei “3”, vou de A)

Um grupo de zumbis ataca os heróis! Mas esse é todo o tempo que temos pra hoje. Continua no meu próximo almoço!

Categorias
Dominus

Dominus: O RPG Sem mestre para jogos rápidos.

Dominus é um conjunto de regras e tabelas que permite que você faça uma sessão de rpg sem mestre de maneira rápida e descomplicada. Sem preparação, apenas com uma folha de cenário e um dado simples, você pode viver inúmeras aventuras. Criar jogos completamente únicos e compartilhar como e com quem quiser.

E é por isso que fizemos ele para ser livre, e colocamos ele em domínio público (o mais próximo possível disso, que foi o CC4.0-BY). Você pode pegar o modelo no Google Docs e fazer seu próprio jogo: da sua série favorita, do seu livro, do seu cenário de RPG. Tudo que você precisa é preencher algumas tabelas para criar na mente do seu leitor uma visão tangível do universo que você quer apresentar para ele.

O formato é pensado para ser bastante legível tanto no celular, quanto impresso. Se você imprimir frente e verso, ele dobra num panfleto maneiro. Se você quer economizar tinta, imprime só a primeira página (as regras você decora rapidinho). Numa tela de celular, as tabelas ficam numa ordem fácil e você não precisa ficar andando muito no pdf para achar as coisas.

Até agora já temos alguns cenários desenvolvidos (e outros ainda em desenvolvimentos), dá uma olhada:

São cenários completamente diferentes entre si, alguns mais ou menos sérios que outros, mas que vocês podem usar como base para ter inspiração para criar seus próprios jogos.

Confira os jogos e cenários no google drive.

Atualizações:

  • 29/08/2019 -Adicionados “Buffy”, “Friends”, “Galinha Pintadinha”, “Thunder Rangers” e “Arquivo X”.
  • 02/09/2019 – Adicionados “Caverna do Dragão” e “Jiraya”.